sábado, 7 de janeiro de 2012

40% dos soldados israelenses gays sofrem assédio, diz estudo


TV's LCD, Home Theater, Celulares, Som Portátil

Estudo: 40% dos soldados israelenses gays sofrem assédio


Quase metade dos homossexuais e das lésbicas do Exército israelense sofrem assédio sexual durante o serviço militar, segundo um estudo divulgado nesta terça-feira.

O relatório, elaborado pela Organização da Juventude Gay de Israel, aponta que 40% dos consultados sofreram abusos verbais e 4% passaram também por agressões físicas, de acordo com o jornal israelense Ha'aretz.

Segundo 45% dos participantes do estudo, os comentários homofóbicos são frequentes ou muito frequentes nas unidades do Exército, número que cresce para 59% nos corpos de combate.

O estudo foi elaborado a partir de um questionário a 364 soldados gays e lésbicas que realizam atualmente ou finalizaram em 2010 o serviço militar obrigatório, de três anos para os homens e dois para as mulheres em Israel.

Apesar de 63% dos consultados afirmar que seu entorno na vida civil conhece sua condição de homossexual, apenas 32% a tinha comunicado a seus companheiros ou superiores no Exército, o que demonstra sua percepção que não é um ambiente no qual sua orientação sexual seja aceita.

O relatório indica também que, nos últimos anos, o Exército israelense tomou medidas para melhorar a situação de soldados homossexuais e lésbicas.

Consultado pela agência Efe, um porta-voz do Exército se recusou a comentar os resultados da pesquisa por não se tratar de um estudo interno.

"Cabe destacar que todas as denúncias de maus-tratos recebidas no Exército são administradas de forma apropriada. O Exército recruta todos seus soldados de acordo com suas capacidades e independentemente de sua orientação sexual", considerou o porta-voz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se livre para deixar um comentário educado... O seu comentário poderá levar alguns minutos para ser exibido.