quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Toda mulher sangra na primeira vez?


TV's LCD, Home Theater, Celulares, Som Portátil
1 - Toda mulher sangra na primeira vez? 

Não necessariamente, depende da interação do casal, e da anatomia de cada mulher - o hímen.
  
2 - A ejaculação feminina existe mesmo? 

Não, ejaculação acontece para os homens, a mulher pode ter uma contração e tensão dos músculos vaginais , com isso eliminar um transudato- líquido. 
                                                    
3 - A mulher consegue fingir um orgasmo e enganar direitinho os homens? (Enviada por e-mail)

Sim, exemplo: as profissionais do sexo.

4 - Quais são os principais mitos que envolvem o pompoarismo?  


Os mitos são para quem desconhece as técnicas, desconhecem suas vaginas, e não se informam e nem se preocupam em se tocar e conhecer melhor a sua genitália. Ao se descobrir, conhecerão novas sensações do seu corpo genital, promovendo o melhor exercício de sua sexualidade.                                               
 
*As perguntas de 3 a 6 foram respondidas pelo ginecologista e sexólogo Rogério Rodrigues

5 - É possível engravidar na primeira vez?  

Sim, é possível. Porque é uma relação normal como qualquer outra. Inclusive, nem precisa de penetração, com coito interfemur pode acontecer. 

6 - Se a mulher ficar muito tempo sem ter relação sexual ela passa a ter infecção urinária? 

Não. Isso não existe. A mulher tem mais chance de ter infecção urinária do que um homem. A uretra da mulher é mais curta e muito próxima a um orifício com bactérias, que é a vagina. Na entrada e saída do pênis, o órgão masculino pode levar material da vagina à uretra. A mulher que tem relação tem mais chance de ter infecção urinária do que as que não têm. Falta de higiene e água também aumentam a probabilidade de ter a doença. 

7 - É verdade que após tomar várias vezes a pílula do dia seguinte (anticoncepção de emergência) o efeito dela é comprometido? 

Sim, porque pode alterar o ciclo menstrual e o período ovulatório. Quanto mais rápido tomar a pílula, mais eficaz será o resultado. Aconselho a paciente usar o método regular, a taxa de falha dele é de 0,3 bem menor do que a anticoncepção de emergência, que é de 10 %, é muita diferença. 

*As perguntas 6 e 8 foram respondidas pelo ginecologista Estephan Moana 


A Gazeta

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se livre para deixar um comentário educado... O seu comentário poderá levar alguns minutos para ser exibido.