domingo, 21 de agosto de 2011

Como as mulheres chegam ao orgasmo


TV's LCD, Home Theater, Celulares, Som Portátil
 Um grupo de pesquisadores descobriu o que acontece com o cérebro feminino durante o prazer

O psicólogo americano Barry Komisaruk, contrariando Sigmund Freud, conseguiu entender o que se passa na cabeça das mulheres – pelo menos no momento do orgasmo. O pesquisador da Universidade Rutgers recrutou 11 mulheres – bastante desinibidas, diga-se de passagem – para que elas se estimulassem sexualmente (uma de cada vez) dentro de um aparelho de ressonância magnética.

Komisaruk e sua equipe registraram quais áreas do cérebro eram ativadas quando as mulheres tocavam a vagina, o clitóris e o colo do útero, com os dedos ou brinquedos sexuais. As voluntárias, que tinham entre 23 e 56 anos, ganharam US$ 100 para participar das sessões da pesquisa, que duravam entre uma e duas horas. As imagens do funcionamento do cérebro das mulheres foram publicadas no final do mês passado no jornal da Sociedade Internacional de Medicina Sexual. Ganharam o apelido de “mapa do prazer feminino”.

Antes que leitores do sexo masculino se entusiasmem, é preciso avisar que as descobertas de Komisaruk não se traduzem em sugestões para satisfazer as parceiras. Mas dão pistas sobre onde começar. Os estímulos na vagina e no clitóris acionam áreas diferentes do cérebro, o que provaria que os orgasmos ligados a essas duas regiões não são iguais. “Ao contrário do que dizem muitos sexólogos – que o clitóris é responsável pela maior parte do prazer feminino –, os estímulos vaginais também produzem ativações fortes no cérebro”, disse Komisaruk a ÉPOCA.

A conclusão mais interessante do estudo é sobre a sensibilidade dos mamilos, uma área frequentemente menosprezada por homens que vão direto ao ponto sul, e não ao norte. Os pesquisadores descobriram que estimulá-los ativa as mesmas zonas cerebrais ativadas pelo toque na região genital, embora com intensidade menor. Isso explicaria por que algumas mulheres, segundo relatos colhidos pelos cientistas, podem ter orgasmos pela estimulação do mamilo (#ficaadica).


HUMBERTO MAIA JUNIOR
Fonte: Revista Epoca


O mistério (e as delícias) do clitóris
 

Há um órgão no corpo feminino exclusivamente dedicado ao prazer. O clitóris, botão mágico que pode levar a mulher às nuvens se bem estimulado, tem de 6 a 8 mil fibras nervosas e por isso, altíssima sensibilidade.

O problema é que muitas mulheres - e um número ainda maior de homens - não faz ideia onde ele fica ou como ele deve ser manipulado.

Segundo a médica Elsa Gay de Pereyra, chefe do setor de medicina sexual do departamento de obstetrícia e ginecologia do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, o clitóris é equivalente ao pênis se considerado o número de inervações e vascularização. Mas fica bem mais escondidinho. "Para encontrá-lo, é preciso colocar o dedo no umbigo e deslizá-lo até a raiz dos pequenos lábios", ensina. Ele fica então entre os lábios da vulva, sob uma dobra da pele que o cobre (capuz).

A melhor posição sexual para estimular o clitóris é a famosa "cachorrinho", quando a mulher fica de quatro e o homem a penetra por trás. "Mesmo que o homem não consiga tocar, essa é uma boa posição para a mulher também se estimular", indica Elsa. A "colher" também é uma posição acolhedora e confortável, especialmente para grávidas, e que pode levar a um maior estímulo do clitóris.

Elsa diz que a sensibilidade no clitóris é diferente em cada mulher. E, dependendo como ele é manipulado, pode até doer. "Por isso é extremamente importante que a mulher se conheça e descubra o melhor movimento". A médica ensina que as áreas mais sensíveis do corpo da mulher estão no clitóris, claro, além dos pequenos lábios e na entrada da vagina. "Durante a atividade sexual o clitóris tende a intumescer e ficar ereto, embora muito menos do que o pênis".

O estímulo dessa parte do corpo pode ser feita de diferentes maneiras. E os especialistas em saúde sexual recomendam, por exemplo, o uso dos dedos. Com o polegar e o indicador é possível realizar uma delicada massagem circular. Outra forma é com os lábios, que podem exercer pressão ou sucção e podem, efetivamente, estimular os sensores de prazer. "A vantagem é que esse tipo de movimento também estimula o tronco do clitóris em profundidade", explica Elsa. Ainda na boca, a língua é considerada a melhor estrutura para acariciar o clitóris, já que é macia e úmida.

O tamanho do clitóris varia, mas a parte que pode ser tocada tem em média apenas 5 milímetros. Elsa conta que, em 1998, a médica australiana Helen O'Connell conseguiu estudar o clitóris em três dimensões e descobriu que sua extensão pode chegar a 10 centímetros. "O botão de capuz discretamente salientes entre os lábios da vagina é a ponta de um enorme iceberg embutido no corpo da mulher", afirma a médica. Esse órgão especial é composto de cabeça ou glande e o eixo ou corpo. A única parte visível é mesmo a glande - "a grande joia do sistema clitoriano", como define Elsa.

Ela bem lembra que muitas mulheres sentem mais prazer durante as carícias do clitóris que durante a penetração. Então, é preciso encontrar um parceiro que conheça bem essa parte especial do corpo feminino para chegar ao prazer intenso. Mas bem antes disso, é preciso que você saiba onde encontrá-la e o conheça primeiro.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se livre para deixar um comentário educado... O seu comentário poderá levar alguns minutos para ser exibido.