domingo, 12 de junho de 2011

Lady Gaga: 'Born This Way'. Cantora americana dá seu recado em Parada Gay de Roma


TV's LCD, Home Theater, Celulares, Som Portátil
Lady Gaga canta 'Born This Way' em Parada Gay de Roma

ROMA - Lady Gaga deu um recado claro contra o preconceito cantando seu novo hit "Born this way" e pedindo o fim da discriminação contra os homossexuais durante a Parada Gay de Roma, neste sábado. A cantora americana se declarou uma "filha da diversidade" durante a apresentação no milenar Circus Maximus. A estrela emocionou os milhares de fãs com uma curta apresentação no vasto campo aberto onde aconteciam os espetáculos no antigo Império Romano.

Usando uma peruca verde, ela tocou piano e cantou algumas músicas, mas dedicou a maior parte de sua apresentação para denunciar a intolerância e a discriminação contra homossexuais. Eles os locais citados por ela como intolerantes estavam o Oriente Médio, a Polônia, Rússia e Lituânia. Lady Gaga disse ao público que muitas vezes as pessoas perguntam: "Você é gay?".

"Minha resposta é: 'sou uma filha da diversidade'."

Ela citou com orgulho suas raízes italianas, dizendo que seu verdadeiro nome é Stefania Giovanna Angelina Germanotta (na verdade é Stefani Joanne, mas o sobrenome é italiano mesmo) e disse ainda que sua roupa tinha sido feito pelo estilista Gianni Versace. Criticando a intolerância, Gaga lamentou que muitos jovens gays estejam suscetíveis ao "sucídio, desprezo, isolamento".

Antes do show a multidão participou de uma colorida passeata de horas pelo centro histórico de Roma. O evento foi parte da parada gay anual na Europa, que defende os direitos dos homossexuais no continente. Gaga elogiou a plateia por sua "grande coragem", que disse ser inspiradora. Os organizadores esperam que o evento chame a atenção para o problema da discriminação contra os gays em muitas partes do mundo. O embaixador dos EUA foi um dos responsáveis pelo convite à cantora.

Os organizadores dizem que a escolha de Roma para o evento foi significativa, pois a cidade abriga o Vaticano, que se opõe ferozmente a leis que reconheçam o casamento entre pessoas dos mesmo sexo ou a adoção de crianças por casais gays.

Outros esperam que a parada seja uma mensagem para o primeiro-ministro Silvio Berlusconi, envolvido num escândalo sexual como uma jovem marroquina de 17 anos. O bilionário italiano deixou grupos de defesa dos direitos homossexuais indignados ao dizer, durante uma audiência pública, que era "melhor ser apaixonado por uma bela garota do que por um gay".

AP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se livre para deixar um comentário educado... O seu comentário poderá levar alguns minutos para ser exibido.