quinta-feira, 28 de abril de 2011

Robert Pattinson prova que existe vida depois de 'Crepúsculo' em 'Água para elefantes'


TV's LCD, Home Theater, Celulares, Som Portátil
RIO - Sonho de consumo de dez entre dez adolescentes, Robert Pattinson está decidido a provar para Hollywood que é muito mais que um belo par de caninos. O astro da série "Crepúsculo" tem a seu favor seu novo filme, "Água para elefantes", que estreia nesta sexta-feira, um drama em que contracena com dois vencedores do Oscar - Reese Witherspoon e Christoph Waltz - e não faz feio na tela. É o primeiro trabalho de peso do jovem ator nos cinemas depois de protagonizar a saga criada por Stephenie Meyer.

Robert Pattinson em 'Água para elefantes'
No filme, Pattinson deixa de lado a palidez vampiresca de Edward Cullen para viver o estudante de veterinária Jacob Jankowski, um jovem que abandona a universidade após a trágica morte dos pais e acaba se juntando a um circo, durante a depressão americana da década de 1930. É lá que ele conhece e se encanta pela bela Marlena, interpretada por Reese Witherspoon, a grande estrela da trupe dos Irmãos Benzini, casada com August, o violento dono do circo, vivido por Christoph Waltz.

Apesar do elenco estrelado, "Água para elefantes" é um filme modesto para os padrões Hollywoodianos, sem grandes orçamentos ou campanhas de marketing. O longa estreou nos Estados Unidos na semana passada superando as expectativas dos estúdios, arrecadando cerca de US$ 18 milhões no fim de semana. O sucesso do filme, baseado no best-seller homônimo da escritora Sara Gruen, pode ser creditado em boa parte a Pattinson, que arrastou seu séquito de fãs para assistir ao primeiro filme de peso protagonizado por ele após ter conquistado o estrelato com a saga "Crepúsculo".


Aliás, Hollywood está de olho no potencial do ator britânico de 24 anos, que vem aproveitando o assédio dos estúdios para se dar ao luxo de buscar por papéis que possam tirar dele o estigma de galã teen.

Agora, Robert Pattinson quer investir em papéis mais ousados. Depois que a primeira parte de "Amanhecer", último capítulo da saga "Crepúsculo" chegar aos cinemas dia 18 de novembro, o ator aparecerá nas telas em mais um drama de época, "Bel Ami". No filme, baseado no romance do escritor francês Guy de Maupassant, ele interpretará Georges Duroy, um jovem que seduz mulheres ricas para conquistar espaço na sociedade parisiense.

Mas a grande chance do ator garantir seu "reposicionamento artístico" em Hollywood será como o protagonista de "Cosmopolis", do aclamado cineasta cult David Cronenberg, baseado no romance de Don Delillo. Com estreia prevista para o ano que vem, o filme acompanha um jovem multimilionário em uma odisseia de 24 horas por Manhattan.


Em sua nova empreitada, Pattinson conta com o apoio de seus companheiros de cena mais experientes. Em entrevista à agência Associated Press, Christoph Waltz, vencedor do Oscar de melhor ator coadjuvante no ano passado por seu papel em "Bastardos inglórios", afirmou que o trabalho do jovem astro é "extraordinário" e admira sua tentativa de se reinventar dentro da indústria do cinema: "Ele está fazendo um esforço para sair do estereótipo pelo qual é famoso. Ele é inteligente e se prepara para o que vem pela frente. É um passo maravilhoso. Não é seu primeiro passo, mas o passo seguinte, e logo vai se transformar em um ator respeitado", declarou.
 Erika Azevedo

Fonte: O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se livre para deixar um comentário educado... O seu comentário poderá levar alguns minutos para ser exibido.