domingo, 27 de março de 2011

"Insensato Coração" reprisa tipos vividos por atores em outras novelas


TV's LCD, Home Theater, Celulares, Som Portátil
Darlene queria ser famosa. Natalie até conseguiu seus 15 minutos de fama, mas caiu no ostracismo e faz de tudo para voltar ao holofotes.

Para autor, público de novela não percebe coincidência

As duas personagens, além de perfis parecidos, têm em comum o fato de serem vividas pela mesma atriz.

Deborah Secco deu vida a ambas aspirantes ao estrelato --a primeira em "Celebridade" (2003), e a segunda em "Insensato Coração", atual novela das 21h na Globo.

Apesar dos sete anos que separam as duas tramas, a coincidência não passou batida. "Por que a Deborah Secco está fazendo a Darlene novamente?", questionou um telespectador no Twitter.

Não é o único caso de coincidência na escalação da novela. Ao contrário, há características semelhantes em diversos outros personagens.

Estão na lista Natália do Vale, Deborah Evelyn, Paloma Bernardi e Maria Clara Gueiros, entre outros.

João Miguel Júnior/Divulgação/TV Globo
A atriz Deborah Secco, que vive a ex-participante de reality show Natalie Lamour na novela "Insensato Coração"

"PHYSIQUE DU RÔLE"

Nilson Xavier, autor do "Almanaque da Telenovela Brasileira" e criador do site Teledramaturgia, diz que as coincidências de escalação "sempre acontecem, em todas as novelas".

Para ele, as emissoras tendem a ir pelo caminho mais seguro e escalar atores baseadas no sucesso que eles fizeram em papeis anteriores.

"Isso já ocorria, inclusive, no cinema clássico: Betty Davis sempre fez as malvadas, Bela Lugosi e Vincent Price eram sempre os monstros em filmes de terror."

No Brasil, também há exemplos. "O caso mais notório era o do Rubens de Falco, que depois do Leôncio em 'Escrava Isaura' (1976) fez a maioria de papéis na TV como vilão", afirma.

Já Maria Thereza Fraga Rocco, pesquisadora de linguagem da mídia da USP, avalia como "coincidência" a escalação dos mesmos atores para personagens de perfil semelhante. E pondera que, em "Insensato", isso se dá em núcleos secundários, não entre os protagonistas.

"No caso da Deborah Secco, por exemplo, isso ocorre porque ela tem o 'physique du rôle' para esse tipo de papel", diz. "Não sei como seria ela fazendo um papel de mulher séria, apesar de ela parecer séria fora da TV."

Fonte: Folha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se livre para deixar um comentário educado... O seu comentário poderá levar alguns minutos para ser exibido.