quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Escrivã de policia de são Paulo é despida a força ao esconder provas na calcinha.


TV's LCD, Home Theater, Celulares, Som Portátil
A delegada de polícia Maria Inês Trefiglio Valente foi transferida ontem da diretoria da Corregedoria-Geral da Polícia Civil pelo secretário de Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto. No lugar dela assumiu de forma interina o delegado Delio Marcos Montresor.

A saída da corregedora-geral ocorreu após uma crise aberta na polícia pela divulgação de um video que mostra delegados da Corregedoria usando de violência para tirar a calça e a calcinha de uma escrivã durante uma revista. Ela era suspeita de corrupção e não se negou a ser revistada, apenas queria fazer valer o direito de que isso fosse feito por uma mulher.

O caso, ocorrido em junho de 2009, veio à tona neste mês após imagens obtidas pela TV Bandeirantes e ganhou repercussão nacional. A escrivã respondeu a processo interno e foi demitida.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) classificou o vazamento do vídeo como "grave". A situação de Maria Inês se agravou, pois ela apoiou a ação dos quatro delegados. Eles foram afastados na segunda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se livre para deixar um comentário educado... O seu comentário poderá levar alguns minutos para ser exibido.