sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Existe algum problema em tomar remédio para parar de menstruar?


TV's LCD, Home Theater, Celulares, Som Portátil


“A princípio, não. Mas é preciso falar com o médico”, alerta o ginecologista Eduardo Viera da Motta, da Universidade de São Paulo.

 

Mas, antes, vamos explicar: não existe um “remédio” que faça parar de menstruar. O que existe é o bom e velho anticoncepcional, seja em forma de pílula, injeção, adesivo, anel vaginal ou implante.

 

O que acontece? O anticoncepcional hormonal funciona pregando uma “pegadinha” com o organismo da mulher. Os hormônios que eles possuem fazem o corpo acreditar que está "grávido". E quando a mulher está grávida ela não precisa ovular, certo? Pronto, está feita a contracepção. Mas qual é a outra coisa que não acontece na mulher quando ela está grávida? Acertou quem respondeu “a menstruação”.

 

Ou seja, quem toma anticoncepcional, na prática, não deveria menstruar. Maaaas, quando as primeiras pílulas surgiram no mercado, as pessoas demoraram para confiar. E as pesquisas mostraram que as mulheres da época acreditavam que a menstruação era algo natural. A ideia de não menstruar não pegou bem. Então as pílulas foram adaptadas para permitir a menstruação. A maioria funcionava (e boa parte funciona até hoje) com a seguinte regra: a mulher toma por 21 dias, pára de tomar, tem a menstruação, e no 28º dia, volta com a medicação. No caso dos adesivos e anéis, eles permanecem por 21 dias e são substituídos no 28º.

 

Mas o tempo passou e os médicos descobriram que a menstruação, na prática, não faz muita falta. E com as mulheres trabalhando mais fora de casa, muitas passaram a ver com outros olhos essa história de aposentar o absorvente. Fim da menstruação aprovado e tudo mudou.

 

Muitas mulheres hoje tomam a pílula ou injeções anticoncepcionais sem qualquer parada. O mesmo acontece para adesivos e anéis. Surgiram também os implantes que ficam embaixo da pele e não permitem a menstruação.

 

É claro, como tudo, que há alguns "poréns". Tomar hormônios direto não significa o fim dos sangramentos para todo o sempre. “Com o passar do tempo, há tendência de sangramentos irregulares e esporádicos. Geralmente, bem reduzidos e que passam logo. Não há nenhum prejuízo ao organismo por isso”, explica Motta.

 

E alguns médicos não gostam muito dessa história de não menstruar – principalmente no caso de adolescentes e mulheres jovens – por que a menstruação age como um “sinal de alerta” quando alguma coisa está errada com o organismo. No caso de uma anemia, por exemplo, a parada menstral é um importante aviso. E outra coisa: quem menstrua não está grávida. Ou seja, ela também mostra, todos os meses, que o anticoncepcional está funcionando direitinho. 

 

Fonte: globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se livre para deixar um comentário educado... O seu comentário poderá levar alguns minutos para ser exibido.