sexta-feira, 12 de setembro de 2008

IML: sem previsão de liberação de corpos de meninos esquartejados em SP


TV's LCD, Home Theater, Celulares, Som Portátil



Irmãos de 11 e 12 anos foram mortos em Ribeirão Pires.
Polícia diz que pai e madrasta admitiram autoria dos crimes.

O Instituto Médico-Legal (IML) de Santo André, no ABC, não tem previsão de quando vai liberar os corpos dos meninos de 11 e 12 anos mortos e esquartejados em Ribeirão Pires, no ABC, na sexta-feira (5).

Segundo a assessoria de imprensa do órgão informou nesta quinta-feira (11), os exames estão demorando porque são complexos e os corpos foram muito mutilados.

A família paterna dos garotos disse que quer dar um enterro digno para eles, que devem ser enterrados no jazigo da família no cemitério da cidade. O G1 tentou contato com a mãe dos meninos, mas, por meio de uma amiga, ela disse que não quer falar com a imprensa.

Indiciados

O pai dos garotos confessou ter participado do assassinato dos filhos, segundo informou a polícia na tarde desta quarta-feira (10). A família confirma a confissão. O pai e a madrasta das crianças estão presos desde sábado (6) e foram indiciados por duplo homicídio qualificado, ocultação e vilipêndio de cadáver.

De acordo com o delegado seccional de Santo André, Luiz Carlos dos Santos, o pai disse em depoimento na madrugada desta quarta (10) ter matado o mais novo sufocado e afirma que a madrasta dos garotos assassinou o mais velho com facadas na barriga.

Em seu depoimento quando foi presa logo após o crime, segundo a polícia, a madrasta disse que o pai matou os dois sufocados com um saco plástico. Ela teria dito ainda que ajudou a esquartejá-los e a esconder os pedaços das crianças em sacos plásticos e colocar esses sacos na rua para serem recolhidos pelo serviço de limpeza da cidade. O G1 não conseguiu contato com a família da madrasta.

Segundo o delegado, a real participação de cada um no crime deve ser esclarecida na reconstituição, que vai ser feita ainda nesta semana. Santos não descarta a possibilidade de haver uma acareação entre os dois suspeitos.

De acordo com a polícia, o pai das crianças confessou o crime em depoimento na madrugada da quarta-feira (10), no qual estava acompanhado de uma irmã. A Polícia Civil não soube informar se casal já tem advogado. Os investigadores interrogaram o suspeito após terem ido até a casa onde houve o assassinato com peritos e constatarem manchas de sangue que haviam sido limpas.

As marcas foram identificadas por meio do produto luminol, que é capaz de apontar manchas de sangue mesmo após elas terem sido removidas. Segundo o delegado, o luminol identificou manchas nas paredes do corredor, da cozinha e também em dois pares de chinelo que pertencem ao casal. As provas foram mostradas ao suspeito na tentativa de que ele confessasse o crime.

Discussão

No depoimento, o pai contou, de acordo com a polícia, que o assassinato das crianças não foi planejado. Ele disse, segundo o delegado, que cometeu o crime após ter tido uma discussão com a madrasta e um desentendimento com o filho mais novo.

O pai afirmou, ainda segundo a polícia, que no dia anterior à ocorrência, na quinta-feira (4), teve uma discussão com a madrasta das crianças e havia decidido se separar dela por causa da impossibilidade de manter uma convivência harmônica entre o casal e as crianças.

"Ele demonstra que tem um apego muito grande a ela [a madrasta]. Não mostrou ter raiva da mulher", afirmou o delegado, segundo o qual o pai chorou durante o depoimento e demonstrou estar arrependido.

Para a polícia, o crime está esclarecido e tanto as provas como o depoimento do casal sinalizam que não houve a participação de uma terceira pessoa na ocorrência.



Fonte: g1.globo.com

2 comentários:

  1. Não é bem assim,eles pensam que o ser humano é oque? nós não temos mais valor,como pode uma coisa chocante dessas ?,eu acho isso um absurdo,e o ruim é que ninguém pode fazer nada. Isso é o que me deixa mais xateada.

    ResponderExcluir
  2. Fazer e se arrepender é mto fácil. Na minha opininião é medo da cadeia, pq um pai agir contra os filhos desta forma, merece prisão perpétua, ou melhor fazê-los sofrer aos poucos. Agora o pior disso tudo é a justiça brasileira q não é justiça. Por isso q as pessoas estão matando cada vez mais, pq sabem q não serão punidos. É revoltante.

    ResponderExcluir

Sinta-se livre para deixar um comentário educado... O seu comentário poderá levar alguns minutos para ser exibido.